Páginas

domingo, 8 de janeiro de 2017

Novembro, 9

Por Débora Farias


Gente se eu disser que esse livro foi fácil de ler, eu estaria mentindo de forma descarada. A escrita da Hoover me envolve num grau que realmente quando começo a ler algo dela termino muito rápido, porém  quando cheguei em determinada parte desse livro senti que eu precisava ir devagar, porque tinha muito caroço no angu sabe? e para isso eu precisava de total atenção.

Bem vamos lá falar desse livro maravilhoso, como eu disse ele não foi fácil de terminar, mas nunca disse que ele não era bom, não é mesmo?

Novembro, 9 é um livro que fala sobre culpa, sobre remorso, sobre amor, e sobre o fato de que um dia pode fazer toda a diferença.

Nessa obra temos a história de Benton James Kessler – um escritor em evolução, mas cheio de fantasmas – e Fallon O'Neil, uma jovem magoada e ferida não só fisicamente mas também psicologicamente. Duas pessoas com marcas tão profundas e dolorosas que duvidam que um dia alcancem seus sonhos, seus objetivos e principalmente que alcancem a felicidade.

Fallon é solitária, insegura e infeliz porque acredita que aos 18 anos sua vida não tem muito sentido, Ben é um cara sensível, amante da escrita e da literatura, mas é muito só e vive aos 18 anos o desalento da solidão e falta de inspiração.

Para muitos o dia 9 de novembro, era apenas mais um dia no calendário, um dia a menos no ano. Para os dois esse dia não seria apenas o dia em que se conheceram mas também seria marcado com esperanças, novos sonhos e novas lembranças.

E com esse pequeno fio de fé eles embarcam em uma aventura nada convencional, a de se encontrem pelos próximos cinco anos no dia 9 de novembro. Ela se tornando a musa que traria enfim a inspiração de seu livro, e ele se tornando o impulso que ela precisava para voltar a se sentir viva.

Esse livro nos mostra que podemos cometer erros, nos machucar, que podemos nos ferir de tal forma que acreditamos ser  irreparável,  mas que não podemos perder a fé de que mesmo em meio ao caos é possível ser feliz. Afinal, tudo pode acontecer em um dia frio de novembro, não é?


2 comentários:

  1. E Débora? Blz?
    Depois que vc me convenceu de levar esse livro no shopping hoje, comecei a lê-lo no ônibus e já estou intrigado. Vamos ver no final como vou ficar rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Calma e continue a leitura, espero realmente que goste (:

      Excluir