quinta-feira, 9 de março de 2017

Todos de pé para Perry Cook

Por Débora Farias


Sabe aquele livro que quando você lê consegue sentir que a autora mediu cuidadosamente cada palavra, cada ponto de forma à compreendermos a densidade do assunto? Pois é, eu senti isso a cada página virada desse livro. 
Na obra de Leslie Connor, adentramos em um mundo rico de amor, esperança, tristeza, fé e acima de tudo inocência.
O livro conta história de Perry Cook, um menino de 11 anos que nasceu e cresceu em um presídio de segurança mínima, juntamente com sua mãe que está presa. OK! OK! Antes que role o surto: O Perry vai à escola, ele tem convivência com outras pessoas durante seu período de aula, porém os únicos locais que ele conhece de fato são: a escola e o presídio.
Logo de cara você deve estar se perguntando: Como assim isso é normal? O livro é bom com uma criança vivendo “presa”?
A resposta é simples, Perry cresceu sim ali, mas foi amado, educado e muito bem instruído por todos ali. Perry levava inocência e esperança àqueles detentos dia após dia, e eles o retribuíam com amor e carinho.
A vida de Perry ia bem, sua mãe estava para ganhar sua liberdade condicional,  até que o promotor de justiça Thomas Vanleer descobre a situação dele e decide retira-lo dali. É nesse momento que a trama nos envolve, Perry é levado para um lar adotivo, onde ele se sente de fato como um "preso". Ao se ver nessa situação o menino decide lutar por sua mãe e por ele para que eles possam voltar a ficar juntos.
Um ponto forte nesse livro, foi de que entramos de fato na vida desse menininho de 11 anos. O livro é quase que totalmente narrado por Perry, somente em alguns insights temos a participação de Jessica - mãe de Perry - no desenrolar do livro. 
O que me tocou nesse livro não foi o fato de ser um menino em um presidio, o que me tocou foi a forma como ele era amado, a forma como ele lidava com o bullying na escola, a lealdade que ele tinha com sua amiga, a fé e esperança que ele tinha em sua família do coração e principalmente em sua mãe. Perry mostrou que não existem barreiras que rompam laços de amor, e que família é nosso bem mais precioso, seja ela do coração ou de sangue.
No decorrer desse presente  ele não foi apenas um livro  vocês vão rir, vão chorar e acima de tudo vão amar e acreditar com a alma de uma criança. Obrigada, Perry por ser esse ser incrível!
Se eu indico essa leitura? Óbvio que sim! E ainda digo mais, ele com certeza vai entrar na sua lista de favoritos! 

Um comentário: