quarta-feira, 12 de julho de 2017

Clássicos de Quinta: A vida íntima de Laura

Por: Cláudio Jr. 


“Vou logo explicando o que quer dizer “Vida íntima”. É assim, vida íntima quer dizer que a gente não deve contar a todos o que se passa na casa da gente. São coisas que não se dizem a qualquer pessoa. Pois vou contar a vida íntima de Laura. Agora adivinhe quem é Laura. Dou-lhe um beijo na testa se você adivinhar. E duvido que você acerte! Dê três palpites.”

Quando peguei nesse clássico infantil, a primeira coisa que pensei foi: Sim, Clarice realmente gosta de galinhas!!! Já havia lido o conto “uma galinha”, porém esse livro é diferente e achei muito melhor que o conto.

Nesse livro Clarice Lispector traz um narrador cheio de questionamentos e filosofias, com um toque maravilhoso de ironia e repleto de humor,  trazendo a todo momento perguntas que nos fazem pensar, de modo que, leva o leitor “a sentar” com o narrador e “bater um papo” com ele, nos fazendo gostar de conhecer as intimidades de Laura (a galinha).

A história conta o cotidiano de Laura, uma galinha descrita como burra do pescoço feio, mas que, como ela mesma diz “o que vale é ser bonita por dentro”, que vive no quintal de D. Luisa e é casada com o galo Luís, um dois mais bonitos naquele galinheiro.

O simbolismo usado pela figura de um animal tão simples, nos remete todo um fundo de um cotidiano humano, trazendo a tona defeitos e qualidades que muitos deixam de observar, porém que afetam a vida de todos. Clarice aborda de forma suave temas como: ciúme, inveja, vaidade, amizade, preconceito, amor próprio, de modo que, faz a criança se sentir confortável ao ler fatos complexos para sua idade.

Uma obra que remete que ser você, mesmo não tendo atributos físicos ou intelectuais de acordo com a sociedade, pode te levar a ser alguém muito importante e com grandes talentos.

Por mais que seja um livro infantil, vejo “A vida intima de Laura” como uma leitura ideal a todas as idades.


Nenhum comentário:

Postar um comentário