quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Clássicos De Quinta: Caderno De Poesias - Maria Bethânia





"Quem fala que sou esquisita hermética
É porque não dou sopa estou sempre elétrica
Nada que se aproxima nada me é estranho
Fulano sicrano beltrano
Seja pedra seja planta seja bicho seja humano"
Waly Salomão - Olhos de lince.

É com essa liberdade e "grito de alerta" que uma das maiores intérpretes do Brasil, mostra ao seu público o seu caderno de poesias, um trabalho lindo e delicado que merece estar ao lado da cama e ser lido todos os dias.

Além do livro, foi gravado também um DVD com todos os poemas declamados, músicas cantadas e que vem junto com o livro, para nos encantar mais de uma vez. Gringo Cardia assina a direção do vídeo e do projeto gráfico do livro.

E o que dizer do trabalho gráfico? Excelente! Nenhuma ilustração fugiu do objetivo primordial de todo o  projeto, mostrando toda a nossa fauna e flora Brasileira na cadência poética a qual nos é apresentada e cada poema e música, sendo digno de admiração, com certeza posso dizer que o livro é uma obra de arte. Não sou do tipo que compra livro pela capa, e esse também não foi um desses casos, porém, no meu primeiro encontro com a obra, assim que abri o livro, e tive "paixão a primeira vista" por cada ilustração, soube que era digno dos meus aplausos.

O inicio de todo esse projeto vem de um convite que Bethânia recebeu da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) para que toda a galera da escola pública pudesse ter acesso à poesia, literatura e as canções populares.

Vivemos em uma sociedade onde a indústria literária é constantemente focada nos números, e apagam os nossos poetas regionais e populares, esse caderno de poesias é uma homenagem a todas essas mentes brilhantes que mesmo apagadas "Pela mão do progresso vazio que insiste em dizima-la" como já disse Álvaro de Campos na poesia "Ultimatum" resistem firmes e brilhantes por tantos anos e gerações. O livro é um carinhoso convite a abraçarmos nossa poesia e conhecer os nossos poetas nacionais desde o sertanejo ao suburbano.

É brilhante a ideia de levar ao público jovem algo tão precioso como a nossa poesia, todo regionalismo e suas particularidades apresentadas a todos de forma tão linda, não apenas o sofrimento do sertanejo, mais também a sua fé desde "as ayabas" representando a força e a fé do candomblé da Bahia, mas também "calix bento" texto adaptado da folia de reis do interior de minas, obteve lugar na obra.

Imaginem quantos desses poetas que deveriam ser lembrados com respeito e reverência, são esquecidos quase que totalmente mesmo tendo muito o que "gritar ao mundo"?

"A nossa poesia é uma só
Eu não vejo razão pra separar
Todo o conhecimento que está cá
Foi trazido dentro de um só mocó
E ao chegar aqui abriram o nó
E foi como se ela saísse do ovo.
A poesia recebeu sangue novo
Elementos deveras salutares
Os nomes dos poetas populares
Deveriam estar na boca do povo"
Antônio Vieira (poeta, compositor e cordelista)

Claro que nenhum caderno de poesia resiste sem uma boa historia de amor, e um dos poetas homenageados no livro é Chico Buarque com uma canção linda, uma verdadeira declaração de amor a quem deseja sempre viver ao lado de quem ama.

"Depois de te perder
Te encontro, com certeza
Talvez num tempo da delicadeza
Onde não diremos nada
Nada aconteceu
Apenas seguirei
Como encantado ao
lado teu."
Todo o sentimento - Chico Buarque



Esse livro é um belo presente da Bethânia para os amantes da poesia. Vamos abrir todos juntos esse caderno de poesias, e sentirmos a mesma energia e sabedoria dos “poetas populares”. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário