quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Clássicos De Quinta: Chapeuzinho Amarelo





Um é bom, dois é excelente!

Chapeuzinho amarelo é o encontro de dois autores que merecem respeito! Com o texto de Chico Buarque e a ilustração de Ziraldo esse livro infantil encanta não só crianças como também adultos.

Chico Buarque de Holanda é poeta, compositor, cantor, teatrólogo, autor e escritor.  Ziraldo Alves Pinto, não fica por baixo! Além de artista gráfico, é também: Pintor, cartazista, jornalista, teatrólogo, chargista, empresário, caricaturista e escritor. Com esse currículo não tinha como um livro sendo infantil ou não, ser menos que maravilhoso! 


Agora, Vamos à obra?

"Era a chapeuzinho amarelo
Amarelada de medo,
Tinha medo de tudo,
Aquela chapeuzinho já não ria.
Em festa, não aparecia.
Não subia escada 
Nem descia.
Não estava resfriada 
Mas tossia
Ouvia conto de fada 
E estremecia.
Não brincava de nada
Nem de amarelinha.” 

Pense em uma menina medrosa! Pensou? Este ai um exemplo.
Chapeuzinho e uma menina que vive atormentada por seus fantasmas mentais, que no livro são representados por um "lobo", que apesar de ela nunca ter visto, tem total certeza de sua existência.

"Um lobo que nunca se via,
Que morava lá pra longe,
Numa terra tão estranha...
Vai ver que o tal lobo nem existia"

Por causa desse medo ao extremo a chapeuzinho se isola de sua vida social e do mundo,  assombrada pela nuvem negra do medo. Até que um dia de tanto temer o tal lobo ela o encontra. 

Fico pensando nesse enfrentamento, ela diante de seu maior pesadelo, diante de sua fobia, seu demônio mental. Como ela o enfrentou? Vale a pena ler pra saber.

A leitura dessa historia se torna doce e suave pelo tom poético que Chico Buarque transmite em cada frase da obra, juntando com cada ilustração de Ziraldo, que a cada pagina desenhou obras de arte merecedoras de um quadro para por na sala! 

Por várias vezes vi a chapeuzinho sendo nossa criança interior, que talvez a cada momento inventa um medo e se esconde dele. Afinal, por que nos esconder daquilo que não vemos? Ou temer algo que nem aconteceu?

No momento que ela encontra seu maior medo, sua visão muda, sua ideologia muda, inclusive sua convivência social e familiar se transforma. Como no inicio vimos "mesmo sem resfriado ela tossia", por já estar sendo afetada pelo medo e sem enfrenta-lo. 


Estar diante de nossos "lobos" psíquicos são necessários muitas vezes para nossa libertação e bem estar, pra aprendermos coisas sobre nós mesmos que nem imaginávamos estar lá, então mergulhem nessa poesia eu garanto que você pode gostar. 



7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. 👏🏻👏🏻👏🏻 Muito bem colocado!
    Chico + Ziraldo é diversão na certa, e para qualquer idade! Não tem como errar.

    ResponderExcluir
  3. ����Sempre escrevendo muito bem... se eu gostasse de ler, até leria porque me enteressei kk

    ResponderExcluir
  4. Uma descrição incrível sobre o livro. Interessei-me vou procurar e me presentear com essa obra.

    ResponderExcluir