segunda-feira, 11 de setembro de 2017

20 Mil Léguas Submarinas




Navios desaparecendo, tripulações amendrontadas, e um mistério envolvendo um “mostro marinho” à solta. E uma pergunta: como detê-lo sem saber com o que estão lidando?




Quando o “monstro marinho” começa a causar prejuízos e problemas nas frotas comerciais, o Professor Aronnax e seu conselheiro Conseil partem para uma missão com o arpoador Ned Land, com o um único objetivo: parar este animal. O que eles não imaginavam é que seriam capturados pela tal criatura... que era feita de metal?? (MAS COMO ASSIM GENTE!!)

E é neste momento que conhecemos o capitão Nemo, um homem louco enigmático, que cortou todas as relações com os seres da terra e comanda uma tripulação no fundo do mar com seu submarino ENORME chamado Náutilus. Os três personagens que mencionamos no princípio são agora reféns do capitão e embarcam junto com ele nessa jornada (não tinham escolha né, já que não poderiam mais voltar à terra firme) e navegam em águas remotas, que o homem naquela época nem ousava desbravar, principalmente quando essa viagem é feita no fundo do mar!

Em vinte mil léguas submarinas somos apresentados a um mundo desconhecido para a época em que foi narrada – séc. XIX – com uma fauna e flora marítima que o homem nem sabia que existia, sem contar o maquinário e a estrutura do submarino moldados de forma tão a frente daquele tempo. E isso é algo de se admirar! Jules Verne (ou Júlio Verne) narra com maestria todo esse cenário no fundo do oceano, sendo considerado o percursor do gênero de ficção científica com suas obras tão inovadoras. 

20 mil léguas submarinas é o tipo de livro você tem que ter paciência para ler se não está acostumado, pois aqui não terá romance nem nada do tipo, é literalmente uma busca ao desconhecido. 

Por ser uma escrita detalhista e recheada de fatos científicos, no começo poderá ser cansativa, mas um conselho de leitora: NÃO PAREM DE LER! Assim que você entra no submarino e começa a passear por vários lugares – até Atlântida entra na história – sua mente começa a viajar com o Náutilus e é impossível não se encantar com as descrições de cada animal, cenário ou a personalidades dos personagens. 

O autor não deixa sua criatividade de lado e preciso dizer que essa edição da Zahar com ilustrações está incrível! Ela torna a história melhor pelo fato de conter várias ilustrações, notas de rodapé e algumas informações no final do livro. 

Se eu indico essa leitura? Óbvio que sim! Venham comigo e embarquem nessa aventura!



Nenhum comentário:

Postar um comentário