sábado, 16 de setembro de 2017

Confesse



Às vezes a vida pode ser cruel e nem sempre estamos preparados para lidar com o pior que ela pode nos mostrar ou o melhor que ela tem. Com uma escrita sensível, que nos fará rir, chorar, espernear e ter muita raiva, Colleen Hoover nos transporta a Confesse.

Confissões são delicadas, elas contem um misto de vergonha, coragem e amor. Uma pessoa quando confessa algo, ela se torna corajosa por colocar o que sente pra fora. Uma pessoa que confessa um crime ou algo errado, confessa com vergonha. Uma pessoa que confessa amor, ela confessa junto com ele altruísmo, generosidade e honestidade.

Na primeira parte de Confesse, somos apresentados a vida de Auburn, uma jovem de 15 anos que vive sua primeira confissão de amor, ela ama incondicionalmente Adam. Mas como eu disse anteriormente, a vida nem sempre nos mostra só o lado bom, ela também sabe nos mostrar a dor, e é com apenas 15 anos que Auburn presencia a perda de seu primeiro amor.
                                   
Na segunda parte do livro, anos se passaram e encontramos uma Auburn mais velha, com 21 anos, frustrada e infeliz com as circunstancias que a fizeram abrir mão de coisas realmente importantes na sua vida.

Do outro lado temos Owen, um artista único e que está desesperado por ajuda.  E é nesse momento que o caminho de Auburn cruza com o Owen, e ela literalmente terá que salvar o cara no final do segundo tempo. Não expliquei nada né? É o seguinte, Owen tem uma exposição marcada em menos de 2 horas e simplesmente perdeu sua assistente. SIM, ELE TAVA PEGANDO A MENINA. Então sua boia de salvação aparece, nossa menina Auburn.

A conexão dos dois é visível até para um cego (Dramática? Nem um pouco! HAHAHAH), mas o problema é que nem sempre só uma conexão, ou só um sentimento podem resolver todos os problemas do mundo. E é nessa situação que nosso casal se encontra. Owen carrega segredos que o marcam não só a vida dele, como a de Auburn (mesmo que ela não saiba), e as marcas existentes em Auburn são profundas e não influenciam apenas a vida dela como a de outras pessoas.

Nesse livro encontrarmos diversas formas de confissões, sejam elas em papel ou telas, porém o mais interessante é perceber que a confissão falada pode ser mais difícil e pode gerar consequências. Mas a pergunta que fica é: Mesmo que machuque outros, ou mude vidas, ela vale ser dita? Vale declarar uma confissão por amor mesmo em situações que envolvam muitos?

O que amo na Colleen Hoover é o fato dela tratar de temas tão duros como: amor, confissão, agressão, vícios, gravidez na adolescência, problemas familiares, estupro entre tantos outros. Mas todos esses com uma leveza, com um respeito a cada tema que foi impossível não se apaixonar.

Eu indico a leitura não apenas como um romance bem escrito que deve ser livro, mas o indico como forma de incentivo a coragem. Se arrisque, assuma seus erros, e ame incondicionalmente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário