quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Clássicos De Quinta: Memórias Póstumas De Brás Cubas






"Ao verme que primeiro roeu as frias carnes de meu cadáver; dedico como saudosa lembrança estas memórias póstumas."

Que tal falarmos sobre uma obra onde o narrador se intitula um defunto?
Machado de Assis como sempre nos surpreende com a ideia de criar um personagem que após a morte vem nos contar sobre sua vida, com uma boa dose de ironia.
O narrador além de expor sua visão do mundo mostra suas alegrias, e decepções, e sentimentos. Além de nos proporcionar enquanto leitores uma espécie de “bastidores” de sua vida em relação a cada ato vivido por ele, pausando as cenas e analisando tudo para dar prosseguimento as suas histórias. 

Analisar a vida de Brás Cubas nos faz conhecer um pouco mais sobre a vida da elite do século XIX e o ritmo que a vida urbana seguia nessa época. É realmente uma análise psicológica muito boa sobre a vida de um personagem que particularmente me conquistou com sua sinceridade e irreverência diante das situações em que passou durante a sua vida.


Em Memorias Póstumas, o sentimento que fica é de que “batemos um papo” com um poeta brilhante, um observador, um homem detalhista em relação às coisas da vida e ate um conselheiro em alguns (muitos) momentos da narrativa.

Essa é uma forte opção para leitores que enfrentam dificuldades para ler algum clássico nacional, eu pude me divertir com a leitura dessa obra e depois me apaixonar muito mais quando tive contato com a sua edição em quadrinhos, com certeza foi um trabalho brilhante e uma experiência extremamente leve e  agradável.






Nenhum comentário:

Postar um comentário