quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Clássicos De Quinta: O Velho E O Mar




"Agora não e hora de pensar naquilo que você não tem. Pense antes no que pode fazer com o que tem"


Essa obra de Ernest  Hemingway, escrita em 1951 e publicada em 1952,  foi apresentada a mim por uma professora da faculdade, porém alguns alunos já tinham  lido antes e devido a isso as críticas sobre o livro estavam balanceadas. E ao ouvir as críticas negativas acabou por despertar uma curiosidade para conhecer a fundo esse clássico.
Eu particularmente, preciso defender essa história, que por mais  negativa que seja o retorno dos leitores,  creio que todos merecem conhecer esse mundo imaginado por Enerst e tirar suas próprias conclusões, pois  talvez por  falta de atenção na leitura ou de entendimento muitos leitores foram pesados ao criticar, é sempre temos que saber avaliar uma escrita com calma para não perdermos a oportunidade de ter uma boa leitura.

Santiago é um velho solitário que há 84 dias não consegue pescar nenhum peixe, e  para um pescador experiente isso é o símbolo de total vergonha, porém no 85° dia, ele consegue “pegar” um  peixe gigantesco, mas o velho ousado não sabia que teria que travar uma lutar com o terrível peixe para conseguir captura-lo. 

 Um ponto interessante é que durante o enredo podemos ver  uma relação de respeito entre o velho e o gigante pescado durante sua batalha, além da relação que o velho possui com o mar. Onde temos a presença do simbolismo, com o mar representando nossa vida que pode ter momentos assustadores e bravos e outra hora pode ser mansa e cheia de reflexão. Além  do fato que  peixe pode representar os desafios que enfrentamos em nossa vida.

A obra é uma grande metáfora de sobrevivência nas turbulências da vida e em suas vitórias, Santiago era um velho solitário, cansado e desanimado e mesmo assim lutou até o fim .

Ao ler (POR FAVOR) não confundam narrativa lenta e estendida  com o mesmo que uma historia mentirosa ou uma chatice literária. É uma obra para refletir, pensar, ler com calma, e uma bela metáfora da vida. Não está na minha lista dos tops, porém é um conteúdo que não pode ser dispensado.




Nenhum comentário:

Postar um comentário