sexta-feira, 24 de novembro de 2017

VACAS - [Nem toda mulher quer ser princesa]




“Não se desculpe por ser quem você é e não aceite a merda dos outros. Não seja vítima. O feminismo não precisa que você se posicione. Conquiste o que você quer. Siga em frente e conquiste o que você quer.”

Toda mulher que existe na face da Terra já foi estereotipada de alguma forma e é sobre esse julgamento que o livro Vacas vai falar, e eu preciso admitir nunca estive tão animada pra ler e ver isso!

Vacas conta a história de três mulheres extremamente diferentes e ao mesmo tempo extremamente parecidas. Neste livro conheceremos de forma paralela as histórias de Tara, Cam e Stella.


Tara é uma mulher esclarecida consigo mesma. Aos 42 anos, ela é mãe solteira e trabalha como produtora de documentários para televisão em uma empresa machista, onde ela como a única mulher do local luta diariamente para conquistar seu espaço. Por inúmeras vezes Tara sofre com a discriminação de seus colegas HOMENS por ser quem é e por criar uma filha sozinha e principalmente por ser a mais competente do local.

Cam é uma blogueira de 36 anos, muito bem resolvida e sem medo de dizer o que pensa e o que defende. Nossa menina é Feminista #GirlPower. Independente e resolvida sobre o que fazer de sua vida, Cam se vê inúmeras vezes julgada e medida por seus leitores. Mas o que realmente a incomoda são os julgamentos de quem é próximo a ela.

Stella é uma mulher que vive sua vida sob uma sentença. Após perder a mãe e a sua irmã gêmea para o câncer. Stella vive a vida baseada em uma meta: ser mãe antes que seja tarde demais. Logo de cara quando você lê quem é a Stella pensa: Por que ela não faz uma inseminação artificial e fim? Eu te respondo que todo mundo tem direito de sonhar com seu próprio conto de fadas. Lidando com uma depressão latente, com medo do futuro e da solidão, essa é a vida dela.

A pergunta que não quer calar é: COMO AS VIDAS DESSAS TRÊS MULHERES SE MISTURAM?

Um encontro casual bem quente, uma decisão sem pensar nas consequências ou riscos, uma exposição midiática exploratória, uma violação do direito de ser mulher e a famosa "a união faz a força".

Vacas vai bem mais além do que lutar por seu espaço no trabalho ou ser aceito por sua família. A autora escreveu com todo poder e força sobre temas intensos como: câncer, aborto, depressão, machismo, tradicionalismo familiar e sobre a violação e exploração do direito de imagem.  Esse livro vai além da discussão sobre o estereótipo definido por alguns sobre o que é ser mulher e sobre suas obrigações por ter nascido mulher. Vacas defende que quem define como uma mulher deve ser e o que ela deve acreditar é elas mesma. Sabe aquela frase linda: MEU CORPO, MINHAS REGRAS. Então Vacas é assim.


Céus! Que livro incrível! Dawn O'Porter obrigada por escrever um livro tão real! Mulheres sejam feministas ou tradicionais LEIAM ESSE LIVRO!! E lembrem-se: NÃO SEJA UMA MARIA VAI COM AS OUTRAS!



Nenhum comentário:

Postar um comentário