segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Perdida - Um Amor que Ultrapassa as Barreiras do Tempo


Falar de todo e qualquer livro da Carina Rissi é problemático. GENTE, TUDO VICIA! Ok. Ok. Descartando meu vicio de fangirl – apenas por uns minutos - apresento a vocês o livro Perdida - Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo.


“Aprendi que uma vida simples podia ser a mais complexa de todas, a mais feliz de todas, sobretudo se o amor da sua vida estivesse ao seu lado.”


Sofia Alonso é uma garota de 24 anos típica do século XXI: independente, trabalhadora e extremamente tecnológica. A vida de Sofia aparentemente é bem comum, né? Nem tanto. Ao mesmo tempo em que se encaixa no universo que vive, ela consegue ser totalmente deslocada de sua própria realidade. Avessa a relacionamentos, sua única ponte de “normalidade” em relação a pessoas, além de seu chefe mala, é sua melhor amiga Mariana – que é uma linda - e o namorado dela, o Rafael. 

A vidinha “pacata” de Sofia muda completamente após uma noite de bebedeira e um celular afogado. Mas, Débora, como assim? Basicamente, Sofia vai entender que nunca na vida foi tão interessante comprar um celular e que nem tudo que acreditamos ser de fato é. Confundi vocês, né?  Calma.

Um celular novo com todas as funções, inclusive uma, digamos, peculiar. Uma vida estagnada e até frustrada. Um século errado. Um clarão. Uma viagem no tempo.


Sim, vocês não leram errado, nossa protagonista foi transportada através de seu celular “moderno” pra o ano de 1830. Em um século estranho, com trajes considerados menores – minissaia, regata e tênis –, nossa heroína será resgatada por Ian Clarke – MEU CRUSH DA VIDA – um jovem educado, lindo de morrer e com o coração mais maravilhoso do universo. Preocupado com a segurança da moça estrangeira e de costumes estranhos, Ian oferece hospedagem em sua propriedade, até ela conseguir descobrir como voltar para casa.  FOFO, NÉ, GENTE?

Esses dois vão vivenciar as cenas mais hilárias juntos, em que as gírias de Sofia embolaram, por muitas vezes, a cabeça de Ian e os palavrões que nosso refinado Sr. Clarke consegue soltar são tão envergonhados que não tem como não rir e se apaixonar mais por ele.

Ian mostrará a Sofia que mesmo em meio ao caos, a vida pode ter cor e ser bem bonita e que independente de qualquer coisa deve ser vivida de verdade. E nesse meio nossa heroína vai descobrir o que realmente é importante pra ela e de fato quem ela é e, principalmente, o que ela quer ser e viver.

Com uma pegada chick-lit lotada de romance, Carina Rissi consegue nos prender desde a primeira linha até a última do livro. Mas aviso aos navegantes que mesmo sendo lotado de amorzinho, esse livro também te arrancará lágrimas em certos momentos. Sério, pessoal, tem uma carta que é de cortar o coração.

Um ponto que eu amo na escrita da Carina é que os personagens secundários são maravilhosos! Como não se apaixonar pela inteligência e doçura de Elisa Clarke, ou pela agitação e instinto de proteção da Mari? É TIPO, IMPOSSIVEL, PRODUÇÃO! O mais legal é que esses personagens tem voz ativa na história e te dão alguns ganchos incríveis de um futuro.

Ah, eu não contei? É SERIE!! SEGURA ESSE LACRE, BRASIL!!

Finalizo a resenha explicando porque Perdida é um livro tão fofo e principalmente o que ele te ensina: Às vezes o óbvio não funciona, e o comodismo te desconstrói e, principalmente, porque até pra ser feliz é preciso se permitir. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário