quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Um Encontro Inesperado


Eu dei uma volta pelo Google e vi que algumas pessoas trouxeram uma imagem negativa desse livro, sim ele não é O LIVRO que dará aquela ressaca literária por ser tão maravilhoso, mas creio que eu deveria dizer que é uma leitura que vale a pena ser lida num dia chuvoso... Principalmente quando estamos falando da famosa escritora do livro Os catadores de concha, Rosamunde Pilcher.

Após a morte de seu irmão Charles, Oliver Cairney terá que realizar todos os preparativos do funeral e ajeitar tudo referente à propriedade da família na Escócia. Ao contrário do irmão que era um fazendeiro nato, ele é totalmente oposto. Por isso planeja vender a propriedade e retornar a sua vida em Londres, mas em uma noite de nevasca duas criaturinhas extremamente molhadas aparecem em sua porta... e esse encontro pode mudar a vida de todos eles.

Já os irmãos Caroline e Jody Cliburn, vivem em Londres com sua madrasta Diana e seu atual marido Shaun Carpenter. Quando o pai deles morreu, o irmão mais velho Angus, decidiu ir embora para ter uma vida livre e longe do controle de sua madrasta – não que ela seja uma pessoa má, pois os ama como filhos –, mas acaba sendo manipuladora. A prova disso é sua influência no futuro de Caroline, que está noiva de Hugh Rashley, irmão mais novo de Diana.

Diana e o marido irão se mudar para o Canadá após o casamento. E como Hugh não quer ter uma criança à tira colo após o casamento, Jody terá que ir com ela. Mas o garoto não quer deixar sua vida em Londres e em meio ao desespero na contagem regressiva de sua partida e com a chegada do casamento, ele recebe uma carta de Angus dizendo que o mesmo está trabalhando em um hotel em Strathcorrie.

E é então que surge a brilhante ideia: fazer com que sua irmã os leve até a Escócia e convencer seu irmão a se estruturar e morar em Londres com ele. Porém quando os irmãos partem de carro rumo à Escócia, eles não contavam que uma nevasca e uma batida de carro pudessem interferir nos seus planos.

“- Caroline, a vida é muito curta para ficar olhando  por trás dos ombros. Só serve para você deixar de olhar para a frente, tropeçar e dar de cara no chão. É por isso que eu gosto de olhar sempre para a frente.”

O mais interessante no livro é que a escritora trata de escolhas e do controle do seu próprio destino. Em Caroline vemos uma jovem passiva que prefere agradar a madrasta e se casar com um homem que não ama, do que tomar uma atitude e escolher seu próprio caminho. Em Oliver vemos um homem que busca fugir do passado e levar uma vida descompromissada, crendo que ter um emprego bom e uma vida estável possa fazer dele um homem feliz e pleno.

Pausa para comentar de uma personagem: desde que Liz Fraser apareceu, eu tive uma grande vontade de enforca-la hahahah. Com seu jeito de riquinha egoísta e mimada ela irá entrar em cena e usar de todos os artifícios que possui para conquistar Oliver, por quem sempre teve uma obsessão paixão na infância.

A abordagem do tema ”família” é presente em todo o livro, e de forma sutil Pilcher nos mostra como existem coisas mais importantes e preciosas que podem nos trazer felicidade.

“- É perto de onde nós moramos. – Ela sorriu pensando no quanto eles moravam próximos, sem jamais terem se encontrado. – É engraçado, não é? Londres é tão grande e no entanto você tem que vir até a Escócia para encontrar o vizinho do lado.”

É engraçado como a vida pode nos surpreender! Às vezes algo que mudará sua forma de pensar, agir e levar a vida pode estar mais perto do que imagina.

Esse livro é bem curtinho e tem uma escrita muito simples e de fácil leitura, alguns pontos podem ser meio óbvios no romance, mas não deixa de ter seu toque especial em cada página. Único defeito talvez, é que como nos outros livros da autora o final sempre é rápido nos dando o gostinho do “quero mais”, mas é um livro que eu adorei ter descoberto e não me arrependo de ter colocado em minha prateleira! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário