domingo, 4 de março de 2018

Domingão Nerd: Black Panther (Pantera Negra)



Depois de um prólogo “folclórico” que narra a história da nação africana fictícia de Wakanda, BLACK PANTHER abre com um flashback para 1992, quando um T'Chaka mais novo (Atandwa Kani) faz uma visita surpresa a Oakland, Califórnia, para enfrentar um Espião de Wakanda. De volta ao presente, T'Challa (Chadwick Boseman) está se preparando para o dia da coroação, que inclui um desafio potencial - através do combate ritual - de qualquer das cinco tribos de Wakanda, bem como uma cerimônia sagrada em que ele se torna oficialmente Pantera negra da nação. 

Depois que T'Challa assumi o trono, o notório traficante de armas Ulysses Klaue (Andy Serkis) rouba um artefato de vibranium de um museu. E para manter o segredo do metal mais valioso da terra (que está disponível em Wakanda), ele convoca seu principal guerreiro, o general Okoye (Danai Gurira), e seu antigo amor Nakia (Lupita Nyong'o), para tentar capturar Klaue. Mas nem sempre é fácil resolver os problemas, e para piorar, ainda terão o agente da CIA Everett Ross (Martin Freeman) e o misterioso jovem aliado de Klaue (Michael B. Jordan) para complicar a missão.

Nota do resenhista: Galera tive que dá uma olhada na internet, porque não tem como se lembrar do nome de todos os atores, né! Mas não liguem hahaha bora voltar para a resenha.

Pantera Negra é um filme além da média de super-heróis (um puta filme). Com uma história interessante e bem traçada, o enredo aborda temas de fidelidade familiar e responsabilidade comunitária. É espirituoso, excitante e muito divertido – fora que eu fiquei arrepiado em várias cenas. É um ótimo filme para assistir em família, pois tem muito para conversar depois a respeito de valores, união e lealdade. A representação dos heróis negros (masculino e feminino) que é muito raro na mídia, foi um dos pontos altos neste filme. As personagens femininas são fortes e inteligentes, e importantes para a trama. 

Percebemos a complexidade do vilão para a história, pois temos uma pessoa moldada por sua história e arredores para perseguir a violência, não um simples vilão de desenhos animados. Há muito pouco romance, mas os relacionamentos aludidos se mostram respeitosamente. É claro que há violência neste filme, já que é de ação! Temos tiroteio, socos, esfaqueamentos, aviões de combate, explosões e uma batalha em grande escala. A violência não é exaustivamente glorificada, mas definitivamente é um filme em que as pessoas lutam muito.

Eu sai do cinema mais impressionado pelo elenco feminino e a história apresentada, e discutindo com meus amigos sobre os relacionamentos e escolhas dos personagens. Posso declarar que tive uma reação mais empolgante do que em outros filmes de super-heróis; como The Avengers, Thor ou os quadrinhos. 

Temos muita coisa para apreciar em Black Panther; com uma trilha sonora espetacular supervisionada pelo premiado rapper Kendrick Lamar, somando a fascinante cinematografia da DP Rachel Morrison, e finalizando com os fantásticos trajes tribais e design de produção vibrante. Embora não haja tantas cenas para dar risada, como nos outros filmes da Marvel, temos as batidas de humor que estão presentes na trama – geralmente graças ao Shuri ou ao líder das tribos da montanha M'Baku (Winston Duke) –, que são extra engraçados. 

Em última análise, o sucesso do filme se resume à narrativa pensativa e convincente do diretor Coogler e do escritor Joe Robert Cole, interpretada por um excelente elenco de atores. Esta não é apenas outra história de super-herói altamente divertida, mas “fórmula”; Também é pungente e poderoso, ganhando seu lugar no topo dos filmes da Marvel. 

Uma dica para quem não viu o filme: Certifique-se de assistir todo o caminho através dos créditos!




Nenhum comentário:

Postar um comentário