quinta-feira, 12 de abril de 2018

Clássicos De Quinta: Literatura De Cordel





"Lampião foi no inferno e depois no céu chegou. São Pedro estava na porta e Lampião então falou: – Meu velho não tenha medo, me diga quem é São Pedro. E logo o rifle puxou!”
(A chegada de Lampião no céu – Rodolfo Coelho Cavalcante)

É difícil definir exatamente onde começou esse gênero tão bom e encantador, porém  no clássico dessa quinta o cordel terá seu lugar.

Herança de Portugal, o cordel teve força no Nordeste, trazendo sua poesia e rima de forma melódica com toda a essência do povo sertanejo.

Teve início na Europa e chegou no Brasil no século XVIII, tendo recebido esse nome porque os folhetos eram expostos à venda em cordas e barbantes. Não se sabe exatamente quem trouxe ou iniciou aqui essa arte que se tornou tão importante para a nossa cultura regional.

“Meu nome é Nordeste
Tenho seca tenho fome
tenho pressa companheiro
se o desprezo me consome
eu sou forte e verdadeiro
você vem mas logo some
sabe bem que eu tenho nome
sou Nordeste Brasileiro.”
(Guibson Medeiros)

Desde Portugal, o cordel foi usado pelos poetas para declamarem suas opiniões e dentro da nossa cultura, faz críticas sociais sobre a fome, a pobreza, a política, a fé e tudo que envolva o cotidiano nordestino com rimas irônicas, apaixonadas e diretas.

“O Nordeste brasileiro
Pela seca, castigado
Não se dobra às intempéries
Nem se sente injustiçado
Ao contrário, mantém viva
A riqueza que cultiva
Nos anais de cada estado”
(Cultura Nordestina – Patativa do Assaré)

Logicamente, nem só de críticas sociais vive o poeta de cordel:  o amor também envolve esses autores, declamando com suas rimas a respeito desse sentimento tão essencial a nós.

“O amor nos enche de glória,
Os prazeres que oferece,
A ternura é mais uma vitória,
Que o coração agradece.

O amor sempre nos faz sorrir,
Enche a alma de esperança,
As vezes nos faz chorar,
De saudade, de lembrança.

O amor faz desejar você,
E, enquanto vida eu tiver,
Amando-a vou permanecer,
Sempre que você quiser.

O amor é um lindo sentimento,
Nascido dentro do coração,
A toda hora e todo momento,
Aparece uma linda paixão.”
( Cordel do amor – Jackson Duarte)

Conheçam mais sobre a poesia de cordel e se apaixonem como eu me apaixonei.

Fica a dica e boa leitura!



Nenhum comentário:

Postar um comentário