segunda-feira, 16 de abril de 2018

Para Sempre





"Todo o mundo tem uma aura. Todos os seres vivos têm espirais de cor que emanam do corpo. Um campo energético multicolorido do qual nem se dão conta. Nada perigoso ou assustador, nem ruim, de forma alguma, mas apanas parte de um campo magnético visível - bem , ao menos para mim."

Quando eu decidi resenhar esse livro, percebi o quanto sou fã de séries “antigas” de romance sobrenatural. A série os imortais foi uma das que eu nunca imaginei que pudesse gostar, li a bastante tempo – bota tempo nisso ta? – mas ela ainda me deixa empolgada e presa da mesma forma desde a primeira leitura.

Hoje, a resenha é de Para Sempre, o primeiro livro da série.

Ever Bloom, era uma adolescente americana bem típica, sabe o clichê? Bonita, líder de torcida, popular e com a família unida e perfeita? O sonho americano! Porém, após um acidente de carro muitas coisas mudaram na vida de Ever, seus pais e sua irmã mais nova morreram, ela foi a única sobrevivente, mas nem isso parecia ter acontecido de forma natural naquele dia. Ela não se lembra de muita coisa, mas sabe que havia morrido também, por alguns minutos.

Após tudo isso ela se deu conta de que mais uma coisa havia mudado, ela havia ganhado dons sobrenaturais: Ouvir os pensamentos das outras pessoas, ver suas auras e conseguir saber tudo sobre a vida de quem ela tocava se tornou uma insuportável rotina na vida da menina, com o bônus de poder ver fantasmas, principalmente o da sua irmã mais nova que se nega a ir embora. Ever teve que se mudar pra casa de sua tia, mudar de escola e conhecer o outro lado da popularidade no colegial: Ser a excluída e esquisita da escola.

No meio de todo o terremoto que se tornou, ela consegue fazer duas amizades maravilhosas, Haven e Miles, que por incrível que pareça  fazem tudo parecer mais suave. Miles é o típico amigo homossexual assumido, divertido e que todas as garotas gostariam de ter, Haven é uma garota viciada em frequentar grupos de auto ajuda, que não sabe o que quer, e sofre pela falta de atenção por parte dos seus pais.

Com seu casaco de capuz, e seus fones sempre no ouvido para tentar abafar as vozes, ela vai seguindo a vida. Tudo parecia começar a se encaixar quando um aluno novo, Damen – lindo, sexy, estiloso, clichê –, aparece causando tumulto entre as meninas e chamando a atenção de Ever por um motivo bem diferente: Perto dele ela não ouvia mais as vozes em sua cabeça. O mundo parecia de novo, normal.

“Falei que não era bom nesse tipo de assunto. – Por fim ele sorri e, passando os dedos por meus cabelos molhados, traz mais uma tulipa vermelha.”

No decorrer do livro muitos mistérios aparecem não só sobre Ever mais principalmente sobre a vida de Damen, sobre quem e o que ele é e fazem do romance um desafio mas tenho que admitir que se eu não tivesse insistido nele, talvez tivesse largado no começo da história, mas com temas sobrenaturais e mediunidade envolvidos eu resolvi dar uma chance a ele, bom, não me arrependo porque ele consegue melhorar durante a história.

Alyson Noël tem uma escrita leve e fácil de ler que te leva tranquilamente pela história e consegue te envolver em muitos momentos. Porém, apesar de eu realmente gostar da história, é um livro que divide bastante opiniões e por ser juvenil não agrada muitas pessoas. Mas eu indico, pra quem como eu, gosta de livros que te levem a lugares completamente fora da realidade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário