terça-feira, 22 de maio de 2018

Os Segredo dos Olhos de Lady Clare





“ As tranças ruivas de Clare reluzindo ao sol permeavam cada pensamento de Arthur enquanto atravessavam os portões da cidade. E não eram apenas as tranças, mas também os olhos incomuns, impossíveis de esquecer. Era como se os campos e vinhedos de Champagne estivessem encobertos por uma névoa e apenas um par de olhos ímpares estivesse em foco... um verde, outro acinzentado. Ímpares.”

E mais uma vez Carol Townend conquistou meu coração e me fez bater meu recorde de tempo em uma leitura. A série Cavaleiros de Champagne caiu no meu colo quando eu tive o prazer de ler “Cartas para uma Falsa Dama” que apesar de não ser o primeiro livro da série, em nada interfere na leitura dos outros livros, já que suas histórias são distintas apesar de se conectarem em alguns pontos.

Hoje eu trago a resenha de “O segredo dos Olhos de Lady Clare” e se eu for descrever meu estado nesse momento só poderia dizer que estou apaixonada!

Clare, é uma moça misteriosa, que foi resgatada por Geoffrey, um dos cavaleiros do conde Henry, e desde então mora em sua casa cuidando de Nicola, mãe de Geoffrey, e Nell irmã mais nova dele. Após a morte de seu protetor e amigo em uma situação nada honrosa, a moça segue vivendo com as outras duas e zelando pela saúde frágil de Nicola que está por um fio de vida.

Sir Arthur Ferrer – o mais novo amor da minha vida – é o Capitão dos Cavaleiros Guardiões do conde Henry de Troyes, e está participando do Torneio de Reis junto com outros cavaleiros, nada parecia estranho até ele se deparar com um par de olhos diferentes no banco das damas, olhos ímpares de uma moça que fazia companhia a uma menininha afoita com o primeiro torneio que acompanhava. Os olhos de Clare.

Após esse primeiro encontro, Arthur se vê perturbado com aqueles olhos, intrigado, e principalmente sedento por saber o motivo de achar eles tão familiares, ele começa a procurar e perguntar sobre a moça, enquanto também investiga os acontecimentos da morte de Geoffrey. O que ninguém sabia era que Clare era uma escrava fugida, e quando ela se depara com traficantes de escravos na cidade onde pensava estar protegida – mesmo com toda dor por deixar suas amigas que são a única família que já teve – ela resolve fugir. E Sir Arthur é mandado atrás dela por Conde Henry, após uma conversa onde ele revela suas suspeitas sobre o parentesco dela com um certo conde de Fontane.

É nesse cenário que a aventura deles dois começa atrás da confirmação da suspeita de Arthur sobre a família biológica de Clare, e durante todo o caminho de Troyes até Fontane somos jogados em uma caminhada sobre confiança, descobertas e uma pequena chama de esperança, além de um romance quente, muito quente entre esses dois.

Eu me peguei completamente absorta nessa história e quando eu disse que bati mais uma vez o meu recorde de leitura, eu quero dizer que li o livro em um dia e meio! VOCÊS ENTENDEM O QUE É ISSO? Simplesmente eu amo a escrita da Carol, simples, limpa e a forma como conduz a história alternando facilmente entre os dois personagens é fantástica. Ela consegue te prender à leitura até você descobrir finalmente cada detalhe dos segredos de Clare e da personalidade um pouco arrogante, porém, doce de Arthur.

Se eu falasse que não sou suspeita por sempre amar livros como esse, eu estaria mentindo, mas eu GARANTO, que vocês também vão amar.   



Nenhum comentário:

Postar um comentário