sexta-feira, 8 de junho de 2018

Não Olhe!




Esta resenha contém spoilers do primeiro volume da Trilogia Não Pare!, portanto, se você ainda não o leu, pare agora, volte duas casas e só me apareça aqui com ele lido, hein? A resenha dele está aqui.

O segundo volume de trilogias costumam ser complicados e traiçoeiros para quem os escreve e quem os lê: normalmente são os mais fracos dos três, com a presença de “gordura” no texto – aquela característica/sensação de que ele poderia ter sido mais bem editado, porque está com excesso de informações descartáveis, o que acaba gerando uma narrativa arrastada, por exemplo. Às vezes ainda precisamos lidar com uma protagonista que era badass e vira uma reclamona do nada e choraminga a cada passo, nos deixando morrendo de ódio. Isso quando não faz besteira em cima de besteira...
Não que a nossa Nina não faça besteira em cima de besteira, mas pelo menos você pode dar um crédito para a pobre coitada: está em Zyrk, uma dimensão violenta e desconhecida para ela, lotada de habitantes que a querem morta por conta da lenda, ou que só pensam em usá-la por ser uma híbrida – no pior sentido da palavra – não sabe em quem confiar, como e se vai voltar para sua casa, precisa lidar com a perda da mãe, as oscilações de humor e de atitudes de Richard... Não preciso continuar, né?

“Não Olhe!” continua no ponto exato em que “Não Pare!” terminou e se você acha que este volume possui qualquer das características que eu citei acima, fique tranquilo: FML Pepper não perdeu a mão. Você ainda está naquele carro desgovernado que falei na resenha anterior, mas, dessa vez, ao invés do nosso mundo, você irá percorrer os reinos de Thron, Storm e Windston, mas apenas vai ouvir falar do reino de Marmon, lar do Mago Von der Hess – guarde este nome. Vai se deparar pela primeira vez com as “Sombras”, os piores exemplares da espécie zirquiana e que se reproduzem sem o controle do Grande Conselho dos Magos, além de fugir das bestas-feras que assolam a noite daquela dimensão nefasta e da qual apenas os rápidos ou sortudos conseguem escapar. Vai conhecer a srta. Brita e o Mago Guimlel, duas figuras muito importantes na vida de Richard, além do próprio Shakur, o poderoso e enigmático rei de Thron,  dono da p*** toda e do meu coração também! 

Nina ainda é nossa narradora e junto com ela, tateamos por Zyrk tentando entender o que está acontecendo, por quê os jogos de poder entre seus líderes e resgatadores parecem cada vez mais suspeitos e a existência de mais DUAS profecias, além daquela sobre a híbrida que já conhecíamos.

Dá uma angústia danada observar Richard dizer uma coisa e fazer outra, agir como um completo galinha convencido e sem remorso num momento e terno e preocupado no segundo seguinte. Nina se divide entre a atração magnética que ainda sente por ele e uma fúria de abalar os Planos cada vez que ele (parece) trair sua confiança novamente. Todo esse monte de emoções entre os dois rendem interações bem interessantes, instáveis e perigosas, de fazer esquentar as bochechas do rosto e te fazer desejar uma dose de Necwar para ajudar a segurar o tranco!

A escrita da Pepper não te deixa relaxar em momento algum, pois são mais de trezentas páginas de babado, confusão e gritaria. Quando você acha que a coisa deu uma acalmada, que entendeu para onde está sendo levada, pode esperar que era apenas um castelo no ar e vai tudo estourar na nossa cara e na de Nina, virando o tabuleiro de cabeça para baixo. No melhor estilo Supernatural, a gente passa MUITO nervoso, vai por mim.

Uma das críticas que eu faria ao livro seria o fato de que Nina passa a maior parte da história sendo arrastada, sequestrada, trancafiada e com terceiros decidindo o seu destino o tempo todo. A falta de agendamento da personagem principal me incomodou imensamente, mas parece que a própria autora pareceu perceber isso (ou fez isso acontecer de propósito), porque no arco final a personagem toma as rédeas da situação e em uma situação impossível, cercada de inimigos e criaturas, joga sua cartada... E a Pepper vira tudo de novo, terminando o livro e deixando em aberto o que irá acontecer para o terceiro e último volume.

Eu já disse que passamos MUITO nervoso com essa história? Pois é. 



Um comentário:

  1. Simplesmente MARAVILHOSA!!!!!
    Existem resenhas e resenhas. Todo leitor sabe disso e todo autor também...
    E essa é uma daquelas resenhas que você, como autor e leitor, percebe desde o início que foi feita por alguém que não apenas leu o livro todo e atentamente, mas que foi capaz de compreender, sentir, se envolver e se emocionar exatamente como você mesma e isso é TUUUUUUDO! É, sem sombra de dúvida, o presente mais maravilhoso que um escritor pode receber. Obrigada, querida Luana, por sua sensibilidade e por conseguir me emocionar uma vez mais. Beijo imenso no coração, Pepper

    ResponderExcluir