quinta-feira, 19 de julho de 2018

Clássicos de Quinta: Amor De Perdição




O clássico dessa semana é bem apropriado para quem curte uma tragédia shakespeariana, lotado de tretas, romances e muitas lágrimas. O clássico dessa quinta é do escritor português Camilo Castelo Branco, a obra Amor de Perdição.

Em Amor de Perdição nós somos apresentados ao amor proibido de Simão Botelho por sua vizinha Teresa de Albuquerque. Acontece que os jovens são filhos de famílias rivais e por isso o amor deles é impossível. Já pegaram a referência, não é?

Simão era o típico universitário rebelde, aluno em Coimbra de Humanas – já sacaram que gostei dele né? Hahahah – que só começa a ter “jeito” quando conhece Teresa. Sabem o que dizem: “O amor muda as pessoas” e com esses dois isso realmente aconteceu.

A história que se passa na cidade de Viseu, onde ambos moravam, mas com uma diferença ao contrário do que esperamos o romance entre esses dois não é tipo que rola beijos e amassos, ele é um romance típico da época, onde a história de amor é através de cartas. FOFO NÉ?

Nesse meio tempo o senhor Tadeu – pai de Teresa – começa a maquinar um possível noivado para a filha com seu sobrinho fidalgo o senhor Baltasar Coutinho, mas pra tristeza de Tadeu, Teresa é irredutível e se nega a casar com o rapaz, por amar Simão, mas o pai dela impõe que ou ela se casa com Baltasar ou vai para o convento. E é no meio dessa confusão que Simão decide fugir de Coimbra para encontrar com Teresa, sem ter muito para onde ir ele se hospeda na casa do ferreiro João da Cruz, um senhor que tinha uma linda filha chamada Mariana.

De início o pai e a filha auxiliam Simão em sua troca de cartas com Teresa, o único problema é que no desenrolar dos dias Mariana começa a desenvolver um sentimento a mais pelo rapaz.

Um triangulo amoroso é escrito. Um crime, uma tragédia sem tamanhos e uma grande sentença são definidas em um único momento.

Camilo não nos apresenta a um romance leve e é justamente por este motivo, que ele tanto cativa, no decorrer da leitura é impossível não amar, não sofrer e não ter esperanças que este casal encontre a felicidade.

Amor de Perdição não é um romance de felizes para sempre, é uma tragédia portuguesa quase romana que nos coloca em prova até onde o amor pode nos levar.

Aviso a todos que não existe final tranquilo ou até mesmo feliz, mas existe desespero, redenção e devoção neste romance e é por isso que ele é a minha indicação de leitura nesta quinta. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário