quarta-feira, 4 de julho de 2018

Entrelinhas




“Eu gosto dos dois. Eles são... diferentes.”

Como todos já sabem nesse blog eu sou a rainha da treta, e por isso cá estou eu mais uma vez, envolvida na escrita enlouquecedora de Tammara Webber. Então, sem mais delongas, sejam bem-vindos a Entrelinhas.

Entrelinhas conta a história de Emma Pierce, uma atriz de 17 anos que acaba de receber a oportunidade de sua vida, por dois motivos: primeiro ela será protagonista de um filme com um sucesso teen e segundo, – que é meu favorito – ela fará a adaptação de um de seus livros favoritos, Orgulho e Preconceito, que no longa é chamado de Orgulho Estudantil. MANO: A MENINA É FÃ DE JANE AUSTEN!

Seu co-protagonista é ninguém menos que o ícone teen Reid Alexander – que eu não amei de cara, confesso – um carinha que está mais que acostumado a ter tudo o que quer e quando quer, inclusive as garotas. Para Reid não existe essa de amor, tudo é questão de uma noite só, o famoso sexo casual. Com um comportamento destrutivo e irritante, regado a noitadas e muita bebedeira. Reid não é meu protagonista favorito, mas incrivelmente tem babado nessa história para entendermos o porquê. Mas mesmo assim eu ainda o classifico como mala.
Até aí nada de mais certo? Errado! Como era de se esperar Emma vai ter um crush no moleque que vai ficar nessa de “gosto dela” mas quero pegar geral. Irritante. Bem, isso até Graham e Brooke entrarem no jogo.

Graham não conquistou meu coração logo de cara, com jeitão sério e misterioso eu não estava dando nada por ele, o considerava apenas um personagem secundário, talvez só mais um ator do elenco do filme. Mas aí como livro é livro e crush é crush, o menino ganhou espaço na história e na vida de Emma, e me encantei por ele em pouquíssimas páginas ainda mais depois de descobrir o grande motivo por trás do jeitão dele.

Do outro lado temos Brooke, a ex-namorada de Reid que o odeia de uma forma inexplicável – nem é difícil, né amiga? Mas no desenrolar das páginas descobrimos o motivo e até solidarizamos com ela. Mas é só por um momento, essa garota é a típica santinha do pau oco, que na verdade é o demônio encarnado.

Confesso que o que eu mais amei nesse livro foi não termos o mais do mesmo sabe? OK, nós tivemos a teoria dos dois gatinhos. Mas nós não tivemos o clichê monstro do bad boy que se torna um príncipe pela garota. Sério gente, isso me ganhou real! E apesar de termos aqui uma protagonista imatura, que pode ser irritante em alguns momentos, não poderia deixar de lado o fato de ela ter apenas dezessete anos e ser exatamente como uma adolescente da sua idade costuma ser.

A escrita de Tammara é algo que me conquista logo no começo, ela consegue ser fluida e leve mesmo intercalando com Emma e Reid, o que para mim já um mega ponto positivo, já que eu amo entender a mente da cabeça das pessoas.
Outro ponto que eu tenho que dizer que eu amei foi a forma como a autora trouxe temas pesados que são vivenciados dia a dia, mas mas quase sempre abafados, tais como: gravidez na adolescência, alcoolismo como doença e o vício em drogas. Temas que foram abordados com todo a problemática e respeito que cada um deles merece, e isso é uma virtude admirável da Tammara.

Finalizo essa resenha com gostinho de saudades desse livro e com um aviso: PRESTEM ATENÇÃO NO GANCHO DO FINAL PORQUE ELE FAZ SENTIDO DEMAIS NO SEGUNDO LIVRO!!

Ah! E gente, É SERIE!! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário