sexta-feira, 17 de agosto de 2018

A Ilha Dos Deuses




“Então voltou a beijá-la e não viu mais nada, além de um borrão de cores furiosas que compunham a paixão. O cheiro selvagem e doce de jasmim penetrou nele, excitando-o, nunca acalmando-o, até Nick pensar que jamais seria capaz de sentir outro cheiro.”

Já sentiram vontade de se jogar em um avião e partir para a Grécia, sem muitas explicações, além da necessidade de fugir da rotina e viver uma aventura romântica? Olha, não foram necessárias mais que duzentas e oito páginas de Nora Roberts, que como sempre, veio arrasando com os corações de cada um dos leitores para eu ter o súbito desejo de ser a personagem de “A Ilha dos Deuses”, e ter um grego lindo me chamando de Afrodite para o resto da vida, haha!

Morgan James precisava de férias. Trabalhar na ONU, morar na agitada Nova York, ter acabado um relacionamento recente e ter sua melhor amiga Liz, morando do outro lado do Atlântico era o incentivo perfeito para pegar um avião e ir parar em Lesbos – paraíso –, na Grécia. Com um mês livre em um lugar paradisíaco, cheia de natureza, beleza e principalmente quietude e paz, Morgan que é sempre agitada e guiada pelo ritmo da cidade onde mora não esperava que encontraria naquele lugar um motivo para perder a cabeça.

Em uma noite de insônia ela decide ir até a praia dar um mergulho noturno e aproveitar o lugar onde estava, mas quando um homem misterioso a “ataca” e se esconde com ela entre os arbustos, assustada e desesperada Morgan luta até desmaiar de medo. Quando acorda, seu suposto agressor ainda está com ela, porém depois de uma discussão com ele quando é libertada, a surpresa e ousadia de um beijo roubado é suficiente para que o sujeito não saia mais dos pensamentos dela.

Nicholas Gregoras – vulgo: novo sonho de consumo da resenhista que vos escreve – por sua vez, é um empresário bem-sucedido, charmoso e no mínimo cortês com todos a sua volta, mas além de tudo isso pode ser um belo mistério pronto para ser desvendado, e ninguém mais que Morgan anseia desvendar os segredos que esse homem guarda.

Por trás desse encontro, um crime que se repete a séculos entre aquele lugar e a costa da Turquia se torna um incomodo, e nossa personagem é sugada para um mundo de contrabando, assassinatos e suspeitas horríveis que parecem atirar para todos os lados, inclusive os menos prováveis.

Nora mais uma vez nos dá de presente um romance, um mistério, e uma escrita que é impossível não se entregar. Cada um de seus personagens está na história com um propósito, e carregam essa importância por todo o livro, e você se sente um deles enquanto se perde na leitura desse livro maravilhoso. Morgan é uma personagem forte, corajosa, decidida, um mulherão em todos os sentidos, além de poeticamente linda, como a deusa do amor. Nick, é um cara que te faz sonhar com uma aventura, e eu fiquei completamente apaixonada quando ele começou a chamar ela de Afrodite. Homens, chega de “gata” por favor só chamem as meninas assim agora ta?

“A Ilha dos Deuses” é um livro pequeno, com uma história leve e contagiante que consegue te fazer perder a noção do tempo facilmente entre suas páginas, nos deixa querendo saber quem é o vilão, quem é o mocinho, e quem é que está tão perdido na história quanto você, haha! E eu me arrisco a dizer que é desse tipo de livro que todos nós mais gostamos, certo? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário