sexta-feira, 7 de setembro de 2018

A Garota do Calendário - Setembro



Sabem, quando eu disse que a Audrey não podia ser mais treteira? Eu estava errada! A mulher conseguiu me deixar fora de orbita nesse livro! JESUS!


"Você faz parecer fácil amar alguém, quando na verdade, é bem difícil. Estar com você é como estar sentado na superfície do sol sem me queimar. O amor que eu sinto por você me mudou. Me fez alguém diferente. Uma mulher digna daquilo  que você me prometeu. O nosso paraíso." 

Desde o fim do mês de julho temos a sensação de que a vida de Mia estava começando a entrar nos eixos, e que as coisas iriam melhorar pra nossa garota. Bem, seria isso, mas como vocês lembram em Agosto, a vida dela virou de ponta a cabeça, mas pelo menos foi pra um lado bom. Era isso que ela e nós esperávamos né? Mas o fim de Agosto nos deixou de cabelos em pé de tanta tensão e desespero, afinal quem esperava um fim daqueles?

Em setembro, não conheceremos o cliente como é o habitual. Nossa garota simplesmente vai dar cano no cara, mas por um motivo nobre: seu pai piorou. 
Mas o problema não é exatamente esse, mas sim como diabos nossa menina vai pagar a divida deste mês ao Blaine – Babaca – Pintero? Agora some essa preocupação ao desaparecimento de alguém imensamente  importante na vida de Mia? Setembro ta babado ou não ta?

Confesso que esse livro foi tão fora dos "padrões" da série que eu fiquei bem chocada, mas de uma forma linda, juro! O livro foi fantástico! E novamente deu um tapa na cara da sociedade quando classificaram a série inteira como apenas uma garota que pega um bando de caras diferentes e tudo mais. Amei demais essa jogada da Audrey!

Em “A Garota do Calendário – Setembro”, vemos que em meio ao caos, a dor e principalmente  ao desespero, é com a família que se pode contar. E eu não estou falando apenas da família que ela sempre teve, mas da família que ela adquiriu ao longo dessa incrível jornada. Isso foi lindo de viver!

Esse livro foge completamente dos padrões, nos deixa de cabelo  em pé, mas nos mostra uma Mia ainda mais humana, e frágil, coisa que ela nunca se permitiu ser.

Eu indico essa leitura pra todo mundo! Haverá momentos em que você vai querer bater em gente idiota, abraçar e chorar com a Mia e também terão momentos de alegria – mesmo que poucos. Então preparem seus lencinhos e seus chocolates e venham aproveitar mais essa leitura incrível!



Nenhum comentário:

Postar um comentário