quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Fangirl





“Acho que não sirvo para isso. Menino-menina. Pessoa-pessoa. Não confio em ninguém. Ninguém mesmo. E quanto mais gosto de alguém, mais certeza tenho de que a pessoa vai se cansar de mim e pular fora.”

Certo, quem mais aqui além de mim é completamente apaixonado por Rainbow Rowell? Eu não consigo negar que tenho uma paixão por tudo o que eu conheço dela, e “Fangirl” não foi uma exceção a essa regra. A verdade é que esse é sem a menor dúvida, o meu livro favorito da autora por inúmeros motivos, e eu me arrependo de ter demorado tanto tempo para finalmente ler essa história.

Cath é uma garota que cresceu sempre fazendo tudo junto com sua irmã gêmea Wren, as duas dividiam o quarto e a vida, além da grande paixão pela saga de Simon Snow – um tipo de Harry Potter dentro da história do livro. Para Cath a vida estava boa do jeito que estava, mas quando as duas vão finalmente para a faculdade Wren decide que é hora de crescer e se separar da irmã, e que para isso não iria dividir o dormitório com Cath.

Para a Cath era o mundo se acabando, ela não era do tipo que se envolvia com outras pessoas, não tinha o menor traquejo social e nem vontade para isso. Na verdade, o mundo dela era o mundo de Simon Snow, ali era o seu refúgio e ela estendia esse, que era o seu pequeno espaço, na sua própria fanfiction sobre a saga. SIM, ela é uma ficwriter e das boas! A fanfiction que ela escreve é uma das mais famosas, e elogiadas, e vindo de alguém que já leu e releu tudo o que podia sobre o mundo de Simon até que não pudesse mais está bom, não é?

“A ideia de escrever fanfiction — disse ela — é poder brincar com o universo de outra pessoa. Reescrever as regras. Ou alterá-las. A história não tem que terminar quando Gemma Leslie cansar dela. Você pode ficar nesse mundo, esse mundo que você ama, quanto quiser, contanto que pense em novas histórias.”

Mas é enquanto Cath está tendo que se adaptar a nova vida que Levi – dono de todo o meu amor – aparece, e de cara tudo indica que ele namora com a nova roomate da Cath, porém as aparências enganam.

Levi é um doce, e logo se interessa pela pessoa “estranha” que Cath parece ser. Todo o medo que ela tem de mudanças, a insociabilidade, a forma como ela fica a vontade com a solidão e a clara obsessão por Simon Snow despertam nele curiosidade, até que descobrimos junto com Cath que não há realmente nada entre Reagan – a roomate – e Levi, e que ele está interessado mesmo é em Cath.

Fangirl é mais um dos muitos livros que trazem personagens com as quais nós nos identificamos. Eu com certeza posso dizer que Cath é um pouco de mim. Bom, talvez muito. 

A escrita da Rainbow é, como já sabemos, uma delícia de ler. Ela conduz tudo com muita calma, o que nos ajuda a entender e absorver todos os pequenos pontos da personalidade e dos problemas da Cath, e também do romance entre ela e Levi. Sério eu não posso com esses dois, queria apertar até explodirem, haha! O livro todo gira em torno do amadurecimento da Cath, e gradualmente vemos a menina assustada que ela é se tornando uma pessoa diferente, além de também podermos ver esse crescimento com os outros personagens.

Fangirl facilmente ganha a gente por ser um livro que fala com a nossa realidade, o que é uma característica da autora, trazer nas suas histórias um pouquinho do cotidiano da gente e em seus personagens uma forma de nos vermos enquanto apreciamos uma leitura leve e contagiante. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário