quarta-feira, 7 de novembro de 2018

A Princesa Salva a Si Mesma nesse Livro




“Aqui jazem
as cruas
não lapidadas
& na sua maioria
desarticuladas
partes da
minha alma.”

Depois de trazer aqui no blog a resenha de “Tudo Nela Brilha e Queima” eu comecei a pensar em quais outros livros como ele eu poderia resenhar para vocês aqui no Blog, e foi então que um presente caiu nas minhas mãos e eu não poderia perder essa oportunidade de vir com essa resenha e continuar a minha pequena saga pelos livros de poemas que mexem comigo de alguma forma.

“A princesa salva a si mesma nesse livro” já havia me chamado a atenção muito antes de chegar até as minhas mãos. E como vocês já devem ter notado, eu costumo consumir muito dessa poesia contemporânea, e esses novos poetas que falam de coisas do dia-a-dia, e também daquelas coisas incomodas que precisam ser faladas.

O livro é uma coleção de poemas onde temos Amanda Lovelace contando de forma quase lúdica sobre algumas das mais importantes e íntimas fases da sua própria vida, e com isso inspirando pessoas, e mostrando que não estamos sozinhos (as) em nossos momentos. Ele é dividido em quatro partes: A Princesa, a Donzela, a Rainha e Você, e indo de seus problemas familiares, seus traumas e sua “volta por cima” de forma delicada e incrivelmente direta, mesmo com as referências de contos de fada.

Desde, sua infância à sua fase adulta, nas primeiras duas partes do livro, Amanda aborda os conflitos com a mãe, os abusos que sofreu – tanto emocionais quanto físicos –, transtornos alimentares, depressão, suicídio e perda, fazendo nós nos sentirmos parte de tudo isso junto com ela. E pela forma como ela conduz a sua história, acaba despertando tanto o sentimento de empatia quanto o de angústia. 

Mas como o próprio título diz, a princesa se salva, e quando chegamos na terceira parte – A Rainha – percebemos que o tom dos poemas muda por completo, e completando a trajetória que o livro propõe, Amanda passa a falar principalmente sobre superação, sobre como ela passou a ver as coisas e a si mesma de forma diferente conforme foi amadurecendo e se empoderando, fala sobre as pessoas que a ajudaram nesse jornada e sobre seu amor pela leitura, e ai o livro se torna revigorante. 

Na última parte, ela separa um momento para uma conversa entre ela e seu leitor, transformando seus poemas não só em palavras amigas, mas em um abraço ao coração. Falando diretamente com aquelas pessoas que estão vivendo suas próprias guerras, e passando por suas fases nesse crescimento.

Ela trás pra dentro do seu livro aquelas pessoas que estão no nosso cotidiano, que encontramos no ponto do ônibus, ou vemos todos os dias no trabalho, pessoas como eu e você, que não sabemos pelo que está passando e as batalhas que estão travando na vida.

Amanda se coloca no lugar dessas pessoas rotineiras na nossa vida, e nos convida a se colocar no lugar do outro, e também a praticar o famoso “self care”, do início ao fim do livro.  

Sério, esse livro é uma das coisas mais lindas que eu já tive o prazer de ler!

No todo, o livro trata sobre dor, sofrimento mas também sobre resiliência, aceitação, amor próprio e inspiração são alguns dos temas mais importantes que encontramos entre as 200 páginas desse livro maravilhoso que precisa ser lido, relido e mantido na cabeceira da cama pra gente nunca esquecer de tudo o que ele nos ensina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário