quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Encanto da Luz





Quarto volume da Série MacGregors, este foca pela primeira vez em dois personagens que não levam o nome da família que deu origem à série. Nora Roberts introduz Gennie Grandeau, uma renomada pintora, que luta para se recuperar da trágica morte da irmã em um acidente de carro e que para isso, saiu de sua cidade e da convivência da família e amigos. E quem estava esperando por ela em um Farol, longe de tudo e de todos, na cidadezinha de Windy Point? Grant Campbell, o irmão de Shelby, a protagonista de “Orgulho e Paixão”

Os dois sofreram perdas imensas – Grant perdeu o pai, senador Campbell, assassinado diante de dele e de Shelby -  e sentem a mesma necessidade de sossego e distanciamento. Grant é um famoso cartunista anônimo de diversos grandes jornais, embora na cidadezinha onde vive, ele seja conhecido como o ermitão provavelmente louco, que mora sozinho no Farol e que dá medo em várias pessoas da localidade. Em uma noite tempestuosa, o carro de Gennie dá defeito e guiada por uma única luz no meio de todo aquele breu – olhem a metáfora mais escancarada possível, meu povo! – vai parar para pedir ajuda no Farol, “incomodando” o taciturno morador.

O que vem em seguida é uma narrativa básica e simples sobre culpa, modos de lidar com as perdas da vida, saudáveis ou não e escolhas das quais nos arrependemos. Poderia ser mais denso e melhor trabalhado na profundidade, mas este não parece ser o objetivo da autora, que costuma focar no romance em si. Gennie se apaixona pelo local que Grant chama de casa e decide que precisa pintá-lo; o cartunista não fica lá muito satisfeito, mas pensa em outras maneiras mais satisfatórias para ele de passar o tempo com a bela pintora – desde que seja em seus termos. Sim, meninos e meninas, Grant é meio babaca, com zero tato e zero filtro, mas Gennie vai derrubando suas barreiras uma a uma até encontrar, bem lá no fundo mesmo (risos), um coração que ainda não perdeu a capacidade de amar e de doar.

Já percebi que tenho preferido os homens às mulheres nesta Série, excetuando-se Shelby, e aqui não foi diferente. Gennie é uma graça, mas é Grant quem rouba a cena e a minha afeição cada vez que abre a boca e solta alguma tirada cheia de humor negro. E onde é que os MacGregors entram nessa história? Bem, todos já conhecem a mania do patriarca Daniel de casar todo mundo e confirmando neste livro o ditado de que o mundo é uma aldeia inglesa, Nora Roberts faz todos os personagens se entrelaçarem de alguma maneira. Isso é bom para acompanharmos a vida dos personagens dos três livros anteriores e saber o que andam fazendo.

“Encanto da Luz” é uma história curta, seguindo o padrão dos primeiros volumes, mas ainda assim agrada, distrai e aquece o coração. Recomendo a todos que querem ler algo leve e romântico nesse final de ano!


Nenhum comentário:

Postar um comentário