terça-feira, 9 de abril de 2019

Originais


O quarto volume da Série Lux, precedido por Obsidiana, ÔnixOpala, foi exatamente tudo o que eu esperava e mais até, depois do final bombástico do terceiro livro. É muito raro encontrar uma série que mantém a qualidade ao longo do tempo e eu sei que isso é algo que já falei antes, mas Originais é um caso totalmente à parte do restante do que li até aqui. 

Vou tentar ser o mais spoiler free possível: A narrativa começa algumas horas depois dos acontecimentos que finalizaram Opala. Daemon está separado de Katy, contido em uma espécie de cela pelos de sua própria espécie, “para sua própria segurança”. Katy está nas mãos do Projeto Daedalus e enfrentando tudo de pior que a raça humana, na figura dos agentes, cientistas e pesquisadores do Departamento de Defesa Americano, têm a oferecer. Resgatar Katy é um dos objetivos dos Luxen amigos, embora Deamon tenha ideias próprias de como isso deve ser feito e zero freio moral para o preço que ele, ou quem quer que ouse entrar em seu caminho, precise pagar para ter sua amada de volta. 

Mais da história é impossível mencionar sem entregar pontos chaves da trama, um deles no próprio título do livro. Existe um propósito muito forte dentro da saga para a autora ter saído do padrão e ter posto “Originais”. A descoberta desse motivo é algo emocionante e dramático, assim como as consequências disso para o restante da história. 

O relacionamento de Damon e Katy amadureceu à força diante de tudo o que experienciaram, mas o teste dessa separação específica traz desafios próprios e inesperados. Dúvidas, torturas físicas e psicológicas, traições e aliados improváveis permeiam o caminho tortuoso do nosso casal e é de respiração suspensa que vamos virando as páginas. 

Chocantes descobertas sobre os planos dos Luxen e do Departamento de Defesa, assim como até onde estão dispostos a ir para atingir seus objetivos, tornam a aventura de ler um processo de reavaliação de lealdades. Se você, leitor, acha que sabe em que papéis os personagens se encaixam, prepare-se para ter Jennifer L. Armentrout te deixando incerto de suas opiniões.

Alternando a narrativa em primeira pessoa entre Daemon e Katy, Originais é recheado da acidez cômica nos diálogos que já conhecemos, mas um sutil aprofundamento nas questões abordadas é percebido. Se tivemos a impressão deste ser um “YA com alienígenas” e mais do mesmo, este volume veio para elevar o nível de complexidade. 

Estou ansiosa para Opostos e ver como a autora dará o derradeiro ponto final!


Nenhum comentário:

Postar um comentário